sábado, 30 de outubro de 2010

De Skate até o fim do mundo!

Rael:

O aventureiro Marcelo Pedal Verde, que têm um espaço aqui no blog, teve uma matéria sua publicada no O Globo! Confiram:
Imagine atravessar 13 mil quilômetros sob sol e chuva e sobre seis rodas adaptadas ao que mais lembra uma miniprancha de surfe. A viagem avança sobre quase três vezes a distância entre Oiapoque e Chuí, abrange cinco países, quebra quatro recordes mundiais e coroa o projeto de vida do carioca Marcelo Pedalverde Gervásio Silva, 47 anos de vida e, ele defende, 44 de esportes radicais. Nascido e criado em Copacabana, onde finca residência até hoje, ele se prepara para ir da fronteira entre Brasil e Guiana Francesa a Ushuaia, a cidade argentina do Fim do Mundo.
— Eu faço aquilo que os outros não têm coragem — argumenta, enquanto aponta, orgulhoso, para registros em fotos e DVDs dos últimos desafios. — Cheguei de Goiás há seis meses e percorri mais de dois mil quilômetros até o Rio de skate, sem carro de apoio, hospedagem em hotel ou patrocínio. Lavei minha alma em 45 dias, a mais de 50km/h.

Para financiar a ideia, toda a renda obtida com sua fábrica caseira de pranchas de surfe é empregada na compra de equipamentos, como as placas de energia solar que ele adaptou no novo skate que vai recarregar baterias de câmeras de foto, vídeo e aparelho celular usados na próxima viagem. A mãe, Agostinha Gervásio Silva, ex-dançarina de teatro, complementa a renda da família com a venda de doces e salgados para amigas.
— O pai dele, quando era vivo, ficava desesperado. Marcelo sumia por um ano e ficava sem dar notícias. Quando recebíamos alguma era um papel enviado de algum lugar estranho com os dizeres “estou bem” — lembra ela, numa mistura entre bronca e orgulho.
Até agora, R$ 35 mil já foram empregados do bolso da família para a quebra dos quatro recordes mundiais (de distância percorrida: 13/14.000 quilômetros em 330 dias; de subida de montanha; de contra-relógio, nos moldes do Tour de France; $distância percorrida em 24 horas). A presença de um juiz do “Guinness World Records” será solicitada e, para enfrentar o desafio, PedalVerde contará com apoio da Confederação Brasileira de Skate, que oficializou a jornada, com acompanhamento médico de Adílson Camargo, que cuida da saúde dos jogadores do Fluminense, e da supervisão do laboratório de robótica da PUC, ajudou o skatista a se munir de tecnologia de ponta para o desafio.

Nota do Hysteria: Parabéns ao Marcelo, que merece todo esse espaço na mídia que ele está conseguindo!

5 comentários:

Carollziinha Lerbach disse...

Que carinha corajoso!
Parabéns pra ele neé, eu mal tenho coragem de viajar sozinha de ônibus ou avião,imagina só de skate..tem que ter mesmo muita coragem. E a mãe dele tadinha,deve ficar com o coração na mão ...esse merece mais que os parabéns!

André Poerschke Vieira disse...

eu vi a reportagem dele. Cara muito galo véio auhahhahu aventureiro e muito corajoso. Um dia ainda irei viajar por ai, percorrer km e km deve ser muito bom!

http://umdiaentenderei.blogspot.com/

DanielVB disse...

Isso que eu chamo de vida!
Isso que eu chamo de viver a vida!
Precisa de coragem, mas tudo vale a pena demais!
Queria ser assim!

Guilherme Bayara disse...

Corajoso mesmo!
Muito legal.
E o bom é que ele é pé no chão.

Ele é um exemplo de quem luta pelo que quer.

henrique menna disse...

ola, muito legal seu blog, ja estou seguindo ele, quando de segue o meu ta, ohttp://henrique199.blogspot.com, um forte abraço! meu twitter @henriquemenna